Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Curtas

Guaiamum Treloso Rural 2019

Em sua quarta edição, festival reúne, no dia 9 de fevereiro, shows de Cordel do Fogo Encantado, Ave Sangria, Baco Exu do Blues, MC Carol e outros, em uma festa de proposta sustentável

TEXTO Manu Falcão

22 de Janeiro de 2019

Guaiamum Treloso Rural acontece desde 2017 na Fazenda Bem-te-vi, em Aldeia (PE)

Guaiamum Treloso Rural acontece desde 2017 na Fazenda Bem-te-vi, em Aldeia (PE)

Foto Divulgação

É um mini woodstock nordestino”, disse Ana Garcia, assessora do Guaiamum Treloso Rural sobre o festival. Hoje em dia, pode-se afirmar que ela não está de todo brincando. Nos últimos 25 anos, o Guaiamum procurou sua identidade. Começou como uma simples troça carnavalesca no Poço da Panela, bairro na zona norte do Recife, em frente ao bar Casa do Guaiamum. O lugar que deu nome à festa era também onde Chico Science costumava tomar suas cervejas “antes do almoço”.

Desde seus primórdios, a relação forte com a cultura local estivera ali, intrínseca. A troça, como qualquer outra, promovia uma vivência de Carnaval, mas com uma particularidade: sempre culminava em shows. A movimentação tornou-se tão grande, com palcos e multidões no meio da rua, que os bombeiros eventualmente minaram a possibilidade de fazê-lo ao ar livre; e a especulação imobiliária e construção civil crescentes na cidade também foram, aos poucos, se apropriando dos terrenos da região.

A partir disso, a festa assumiu seu caráter nômade e seguiu procurando um lugar que acolhesse sua proposta, por vezes acontecendo em locais fechados. E assim, em 2017, achou sua locação em Aldeia, na Região Metropolitana do Recife, onde passou a unir a premissa de um festival a um mote imprescindível: a preocupação ambiental. A Fazenda Bem-te-vi é um espaço aberto, cercado por natureza. E no dia 9 de fevereiro, prepara-se para receber a quarta edição da festa Guaiamum Treloso Rural, sob o tema Salvando o verde

O evento integra três palcos para atrações diversas. Do ponto de vista curatorial, em sintonia com o costume pernambucano de retornar constantemente às suas "raízes", o festival busca celebrar a cultura do estado – aquela que estivera lá desde o início, em tempos de festa na Casa do Guaiamum. Tais pontes e ressurgências podem ser assimiladas em uma noite na qual uma das principais atrações é o Cordel do Fogo Encantado, em seu novo show; e, paralelamente, uma noite na qual muitas novas bandas do Recife (Torre, Kalouv, Sereia Problema) poderão se apresentar. Após os shows, grupos de frevo e maracatu encerrarão a festa. 


Cordel do Foto Encantado. Foto: Tiago Calazans/Divulgação

“Tenho 52 anos, mas meus filhos estão na faixa dos 20. Pensamos juntos em como unir o canônico com o novo; em dar oportunidades para novos artistas ocuparem esses espaços também. É um festival para se permitir conhecer tudo”, conta Felipe Cabral, produtor do evento. Além dos conterrâneos pernambucanos, houve também a inserção de diferentes gêneros de um escopo nacional: Ave Sangria em sua psicodelia, Baco Exu do Blues com seu rap repleto de referências à black music, e MC Carol trazendo o autêntico funk carioca.

A ideia geral é estar em contato, simultaneamente, com a profusão musical de nosso país e com a fauna e flora que o cerca. O festival, cuja produção teve a consultoria de urbanistas e biólogos, implementará um bosque com espécies arbóreas nativas, para que, como disse Zenaide Nunes Magalhães, a arquiteta por trás do projeto, “homens e mulheres consigam interagir com a natureza”. Também haverão espaços de reciclagem e redução do uso de plástico.


Baco Exu do Blues. Foto: Alex Takaki/Divulgação

O Guaiamum Treloso Rural acontece no sábado, 9/2, a partir das 14h – os ingressos podem ser adquiridos online pelo Sympla.

Publicidade

veja também

Casa do Derby

Garrido Galeria

Luz dentro do caos

comentários