Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Indicações

[Disco] Vereda caminho

Sertão e rock no álbum solo de Bruno Lins

TEXTO Revista Continente

02 de Janeiro de 2019

Foto José de Holanda/Divulgação

Logo na música que abre o disco, Peleja do fim do mundo, o cantor e compositor pernambucano discorre: “Eu canto o mundo para o mundo não se acabar”. Em Vereda caminho, Bruno Lins costura a urgência da criação artística, uma das vias de escape para se estar no Brasil e no mundo nesses tempos obscuros, com a sua bagagem musical. As influências sertanejas (sua família é da Prata, no interior da Paraíba), que caracterizam seu trabalho como líder da banda Fim de Feira, estão em evidência, mas agora unindo forró, baixão e coco a elementos do folk e do rock. Nas 11 faixas inéditas, destaque para Passo preto (em que duela com a voz delicada de Isaar), Afeito desfeito e Por onde quer que eu vá – essa com um belo arranjo de cordas escrito por Amaro Freitas. O disco pode ser ouvido em todas as plataformas digitais de streaming e no site https://www.brunolins.com

Publicidade

veja também

[cinema] V Verouvindo

[cinema] II Curta na Serra

III Terceira Mostra SESC de Cinema

comentários