Clique ao lado para visualizar o sumário da nova CONTINENTE.

Indicações

[Música] Heaven to tortured mind

Álbum é resultado da visceralidade do artista performático e teatral Yves Tumor, pseudônimo do produtor norte-americano Sean Bowie

TEXTO Revista Continente

01 de Julho de 2020

Capa do disco

Capa do disco

Imagem Divulgação

A primeira ideia que vem à tona ao tentar descrever o álbum Heaven to tortured mind é visceralidade. A segunda, que visceralidade, na verdade, parece ter sido uma palavra usada de maneira indiscriminada para a definição de muitos trabalhos artísticos da atualidade. Mas, ao escutar Yves Tumor, o sentido original parece ser restabelecer: é fácil ser atravessado pela experiência sonora apresentada em seu novo trabalho. Neste álbum, sucessor de Serpent music (2016) e Safe in the hands of love (2018), o artista performático e teatral Yves Tumor, pseudônimo do produtor americano Sean Bowie, apresenta-nos um personagem lascivo, sensual, diabólico e irreverente, tanto nas letras, quanto nas sonoridades exploradas. Nas 12 faixas (com destaque para Gospel for a new century, Medicine burn, Kerosene!), a explosão das baterias e o barulho frenético das guitarras psicodélicas encontram a atmosfera sensual do glam rock, criando uma realidade na qual os opostos são a face de uma mesma moeda.

Publicidade

veja também

[Infantil] Itaú Cultural

[Poesia] Rima Anima

[Cênicas] Tudo que coube numa VHS

comentários